O Trabalho é uma maldição?

does_God-own_your-business1[1]

Há tempos a separação entre Deus e o mundo dos negócios resulta em uma vida dupla: Deus no domingo, trabalho na segunda-feira. Pessoas de fé frequentemente são teístas entusiasmados no domingo e ateístas práticos na segunda-feira. As mudanças acontecem em ritmo acelerado no mundo corporativo. No entanto, certo tipo de (pré) conceito remete aos dias em que Adão e Eva andavam pelo jardim sem iPod e iPhone. Avaliar o trabalho como “maldição” atravessou diversos períodos da história e continua arraigando o subconsciente de milhares de pessoas. A segunda-feira é o dia mais terrível da semana e a sexta-feira pronuncia a libertação desse “mal”. O bicho-homem aprendeu a se preparar para desenvolver habilidades e ter uma carreira ascendente, porém ainda não é capaz de harmoniza vida pessoal e profissional. Continuamos dividindo o mundo em quente/frio, ajunta/espalha e, principalmente, carne/espírito. Passamos boa parte de nossas vidas no ambiente de trabalho. Dependendo da atitude que mantivermos, será “investimento” ou “desperdício”. Segundo o Rabino Jonathan Sacks, “não se escolhe entre acreditar e agir, pois é por meio de ações que expressamos nossa fé e fazemos dela uma realidade presente na vida de outros no mundo”.

 

Em qual negócio Deus está?

Deus e os negócios? Este pensamento é quase inimaginável, pelo menos no mundo ocidental. “Deixe sua alma do lado de fora da porta do mundo dos negócios” tem sido a mensagem silenciosa – e até anunciada algumas vezes – do mercado. Erros frequentes de interpretação da Bíblia somados a fatores históricos e culturais amarram as pessoas levando-as à estagnação e ao fracasso. E amarram igualmente o país. A cultura afeta a todos, e a nossa, especialmente, carrega inúmeros equívocos em relação ao sucesso e ao dinheiro. No Brasil existe certa aversão pelo desejo de crescimento pessoal, profissional  e financeiro. É quase o oposto do que ocorre nos Estados Unidos, onde um dos fatores do desenvolvimento foi mentalidade de que, com o trabalho e a benção de Deus, é possível melhorar de vida. A questão é simples: nosso país não tem uma cultura dedicada ao trabalho. Muitas pessoas têm raiva de quem progride, entendem que riqueza é sinônimo de algo errado e acreditam que, para vencer na vida, valem mais a sorte, a fraude ou o casamento do que o estudo e o esforço. Assim, a relação com o sucesso e a riqueza se torna doentia, traduzindo-se em repulsa, culpa ou ambição exagerada, em vez do ideal, que seria a busca por harmonia e equilíbrio.

 

Deus e o homem juntos nos negócios

Quando abrimos a bíblia, encontramos Deus trabalhando, separando luz e trevas, terra e mar, e assim por diante. Também vemos Deus completando: fazendo o mundo e todas as coisas vivas e mais belas. A Bíblia termina com Deus trabalhando: renovando todas as coisas, inclusive as materiais – “Estou fazendo novas todas as coisas!” (Apocalipse 21.5). Entre o começo e o fim, Deus está trabalhando em coisas incríveis: dando forma, falando, comunicando, mostrando resultado, destruindo, embelezando, consertando e melhorando, restaurando, desenhando, mantendo as coisas funcionando e finalizando outras. Aqui está Deus trabalhando, fazendo negócios. Mas, e os homens? O homem foi feito à imagem e semelhança de Deus tem o enorme privilégio de entrar no trabalho de Deus que já está em andamento, em qualquer tipo de ocupação que seja boa e humana. Deus é tão criativo hoje quanto quando começou a criar o universo. Ele nos convida a ser co-criadores com ele em todo empreendimento humano: desde a agricultura até a engenharia genética, de fazer brinquedos a vender jeans, de consertar carros a aconselhar pessoas em depressão e muitos outros. Não podemos respirar se ele não estiver mantendo as coisas em ordem. Ele sustenta padrões de tempo (Jó 38.12,19-20), clima e temperatura (38.22-30), o próprio universo (38.31-33) e os sistemas vivos (38.39-39.30). A maioria das tarefas de casa e trabalhos na prestação de serviços são formas de manter as coisas funcionando: a limpeza da casa, a assistência nas estradas, a manutenção do escritório e da infraestrutura urbana e o próprio governo funcionando. Quando as pessoas estão realizando estas coisas, elas estão fazendo o “trabalho de Deus”. O Deus Salvador convida os seres humanos a juntarem-se a ele para consertar, melhorar e transformar. E é claro que devemos fazer este trabalho, testemunhando o evangelho do Reino de Deus, a invasão de esperança e nova vida em Cristo.

 

Referências:

Deus e o mundo dos Negócios – R. PAUL STEVENS

Comentários

Comentários